Sobre (eu) querer comer o mundo

Antes de sair do Brasil, eu tinha muitas e muitas imaginações na minha cabeça de como seria minha nova vida aqui. Bem eu fazer isso. Acontece que, quando chegamos para morar num país que por mais que se tenha feito pesquisas sobre, você ainda não o conhece e não sabe exatamente o que lhe espera. Existe um misto de curiosidade e estranhamento o tempo todo. Diferente de fazer uma viagem de férias, morar num país novo é ter que absorver uma cultura nova a cada passo que damos na rua e até dentro de casa. Não existe um tempo só para lazer como na viagem de turismo, existem muitas questões muito concretas para se passar que são tipo “agora é assim que tem que ser feito”. Isso mexe demais com nossas verdades, zona de conforto e visão sobre o mundo.

Uma das coisas que eu tinha certeza quando saí de Porto Alegre foi: cara, como sou adaptada nessa cidade. E acho que já falei sobre isso no meu primeiro post aqui no Blog. Eu sei demais daquela cidade, porque é minha cidade, eu nasci, cresci e vivi ali por toda a vida. E a certeza clara pra mim era: toda a segurança que tinha em Porto Alegre seria perdida na Costa Rica e aqui eu teria que conquistar novamente essa confiança. Primeiro desafio aceito.

Desde que comecei a trabalhar, não parei. Desde que comecei a estudar não parei também, nem por 6 meses. Sempre fui de buscar coisas, fazer coisas novas, me experimentar. E preciso desse movimento para viver bem.

Chegar na Costa Rica foi tipo um baque nisso. De uma agenda cheia para não ter compromissos. Aí que fiz a analogia do título, eu tenho essa vontade de comer o mundo. Já absorvi muito da cultura costarriquenha e temos um amigo aqui que sempre me diz: Bruna eu acho que você não é brasileira não, está muito tica (tico e tica é como os costarriquenhos se chamam).

Para a Bruna normal de Porto Alegre, não estou fazendo nada, mas para a Bruna da Costa Rica eu já conquistei muitas coisas. O processo de validar meu diploma em menos de 2 meses estará pronto e terei a licença para SER Psicóloga aqui, estou trabalhando dando aulas de português, já fiz dois cursos, já conheci várias pessoas, já fui reconhecida na rua (hehehehehe). Pode não parecer nada para a Bruna que fazia 40 coisas ao mesmo tempo e dava conta de tudo, mas é gigantesco para a Bruna que chegou sem conhecer nada e nem ninguém.

Estar fora de casa me faz perceber a cada dia que não preciso me exigir tanto resultado. Estar longe de casa é uma conquista diária de comunicação, conquista de chegar nos lugares, conquista de não entrar em roubada, conquista de provar comidas diferentes e gostar, é um passo de cada vez. Despacio. E tem sido maravilhoso degustar a Costa Rica de um jeito mais leve e ao mesmo tempo intenso.

Agradeço tua visita.

Bruna Costa.

 

4 comentários Adicione o seu

  1. Ivar Scotti Bastos disse:

    Muito bom Bruninha, aproveitem aí, tudo a que tem direito. Abração.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lotty disse:

    Hola buenos días, era para comentar que la fotografía de los buses que aparece al inicio de la página son de Nicaragua no de Costa Rica.. Buen día.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hola Lotty, gracias por su ayuda. Voy a cambiar la foto. Buen día para usted! Sea siempre bienvenida por acá, estoy planeando un post en español. 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s